DIREITOS DA NATUREZA - ETICA BIOCENTRICA E POLITICAS AMBIENTAIS

Mais informações

Por: R$ 45,00 Em 1x de: R$ 45,00

Comprar
Disponibilidade: Produto em estoque, postagem em até 03 dias uteis após a confirmação de pagamento, mais o tempo da transportadora
Consulte aqui o valor do frete e prazo de entrega do produto
Opção de parcelamento via cartão de crédito
  • 1x de R$ 45,00 sem juros
Avalie:

Ficha técnica

Código de barras:
9788593115479
Dimensões:
20.80cm x 12.70cm x 1.90cm
Edição:
1
Editora:
ELE - ELEFANTE
Idioma:
Português
ISBN:
8593115470
ISBN13:
9788593115479
Número de páginas:
344
Peso:
382 gramas
Encadernação:
Brochura

Sinopse

À primeira vista, a ideia de direitos da Natureza pode causar algum estranhamento: talvez o mesmo estranhamento que um dia causaram as propostas de direitos civis, direitos humanos e direitos das crianças, por exemplo. Neste livro, o sociólogo uruguaio Eduardo Gudynas analisa os caminhos conceituais e as lutas sociais que vêm abrindo espaço para que comecemos a tratar a Natureza como sujeito de direitos, e não como mero objeto da exploração humana. O autor analisa os casos do Equador, que colocou os direitos da Natureza na Constituição aprovada em 2008, aproximando os termos Natureza e Pacha Mama, e da Bolívia, que aprovou leis de proteção da Mãe Terra. Sem abrir mão da crítica à experiência real destes e de outros países latino-americanos na gestão do meio ambiente, o autor oferece argumentos para construir uma nova ética de convívio entre seres humanos e o mundo natural: uma ética que não passa pelo romantismo de manter os ecossistemas puros e intocados, mas pelo respeito a seus ciclos, a suas capacidades e a seus povos originários, abandonando as métricas economicistas que propõem um crescimento infinito pautado pela destruição ambiental - e, consequentemente, pela desigualdade social. (...) Nesta importante obra, Eduardo Gudynas procura repensar a sempre complexa e turbulenta relação entre desenvolvimento, democracia e meio ambiente. A postura de cuidado para com a natureza, a partir da categoria dos denominados direitos da natureza, é tomada no sentido de reorientar profundamente a ética aplicada ao meio ambiente. - Daniel Braga Lourenço, na orelha